F1: Presidente da FIA concorda com chefes de equipes sobre entrada da Andretti

A recusa da entrada da Andretti-Cadillac na Fórmula 1 como 11ª equipe ainda anão foi bem ‘digerida’ por Michael Andretti. A FIA também discordou da FOM sobre isso. No entanto, o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, agora acredita haver uma maneira melhor para a Andretti entrar na categoria, ecoando as declarações do chefe da Red Bull Racing, Christian Horner, e de outros chefes de equipe da F1.

Nos Estados Unidos, seis senadores pediram recentemente uma investigação sobre a recusa da F1 em permitir a entrada da Andretti-Cadillac como 11ª equipe. Isso levou a novos questionamentos para os chefes das equipes atuais, a maioria dos quais não gosta da ideia da entrada de um décimo primeiro time.

De acordo com Horner, isso certamente não significa que a Andretti não seja bem-vinda no grid. O chefe da Red Bull enfatizou em Mônaco, que a equipe de Andretti é ‘absolutamente’ bem-vinda na Fórmula 1, mas que pode haver uma maneira melhor de alcançar esse objetivo.

“Acho que a Andretti tem uma grande herança no automobilismo. Mario Andretti é uma lenda do esporte. E claro, a Cadillac, uma enorme fabricante de automóveis dos EUA”, disse Horner. “Acho que a Fórmula 1 disse que se eles criassem seu próprio motor em 2028, a decisão seria reconsiderada. Mas além disso, acho que se a Andretti quisesse entrar, seria melhor fazer como a Audi, que assumiu a Sauber. Acho que para proteger a atual estrutura e estabilidade que temos no esporte, o melhor caminho para o objetivo deles é assumir o controle de uma das equipes existentes”, acrescentou.

O CEO da RB, Peter Bayer, o chefe da equipe Alpine, Bruno Famin, e Alessandro Bravi, chefe da Sauber (Stake F1 Team), concordam com as palavras de Horner. O presidente da FIA, Ben Sulayem, também acredita que assumir uma equipe existente seja o melhor caminho para a Andretti entrar na F1.

“Eu os aconselharia (Andretti-Cadillac) a comprar uma equipe atual do grid, não a tentar entrar como a 11ª”, disse o presidente da FIA, de acordo com a Reuters. “Acredito que algumas equipes precisam ser renovadas. O que é melhor? Ter onze equipes apenas para ter número ou dez que sejam fortes? Ainda acredito que devemos ter mais equipes, mas não quaisquer equipes. As equipes certas. Não se trata da quantidade, mas da qualidade.”

“Sem mencionar nomes, existem equipes que estão tendo dificuldades… lutando com desempenho, lutando até mesmo com a gestão. Trata-se de ter a equipe certa, para não perder a chance ou a oportunidade de ter alguém como a GM (General Motors) com uma unidade de potência vindo para a Fórmula 1”, continuou Ben Sulayem.

“Imagine o impacto. Temos três corridas nos Estados Unidos. Temos uma enorme base de fãs. Mas não temos uma equipe americana de verdade (aparentemente ele não considerou a Haas). Estou muito feliz em ter a Ford entrando (com a Red Bull a partir de 2026), mas imagine ter a GM e pilotos americanos”, finalizou o presidente da FIA.