F1: Ocon acredita em evolução da Alpine na Arábia Saudita

Esteban Ocon negou que as atuais dificuldades da Alpine, sejam comparáveis à sua experiência anterior com a extinta equipe Manor, quando era novato na Fórmula 1.

Em 2016, graças aos seus vínculos com a Mercedes, Ocon estreou na F1 pela Manor, equipe que encerrou suas atividades no final daquele ano. O francês não marcou nenhum ponto naquela temporada, já que a equipe britânica lutava com um carro desatualizado devido a muitos problemas financeiros.

Neste ano, a Alpine ocupa a última posição do campeonato com o carro A524, que representa uma mudança radical em relação ao modelo anterior. Ocon e seu companheiro de equipe, Pierre Gasly, largaram em último e penúltimo, respectivamente, no GP do Bahrein, e a equipe francesa está na lanterna do campeonato.

Porém, como Ocon ficou a apenas um décimo de segundo de avançar para o Q2 na sessão de classificação, o francês acredita que há motivos para a Alpine evoluir.

“Acho que é uma situação diferente”, disse ele quando questionado sobre a comparação com a Manor. “Claro, estamos dividindo as mesmas posições no grid no momento, mas foi apenas a primeira corrida. Com a Manor, estávamos muito distantes dos carros da frente. Aqui, com um décimo e podemos ganhar algumas posições. Essa é a diferença. Estamos muito mais próximos do pelotão do que em 2016, quando estávamos quatro segundos atrás. É uma situação diferente e há como melhorar aqui, o que não havia antes.”

Ocon admite que o grid compacto e a promessa de atualizações lhe dão esperança de que a situação atual da Alpine não vai durar muito. “Sabemos que não estamos onde queremos estar, então devemos melhorar e temos que fazer isso”, acrescentou. “Na Manor, eu sabia que estaríamos no fundo do grid. Não teríamos atualizações e era isso. É uma maneira muito diferente de ver as coisas. Como você diz, é questão de um décimo, e você está lá”, acrescentou.

A Alpine reconheceu que seu carro está com problemas de tração, mas espera um melhor desempenho na Arábia Saudita neste próximo final de semana, já que o circuito é menos sensível a esse tipo de problema.

“Eu acho que no Bahrein, praticamente otimizamos o que tínhamos. Precisamos ver exatamente o que é isso. O carro esteve melhor aqui (Arábia Saudita) no ano passado do que no Bahrein. Tivemos mais desempenho. Acho que nos classificamos em sexto aqui no ano passado. Claro, não vou dizer que vou me classificar em sexto este ano, mas esperamos estar um pouco mais perto do pelotão da frente do que estivemos no Bahrein. Esperamos poder extrair um pouco mais. Esse é o objetivo. Vamos conseguir? Não sabemos, mas é isso que queremos alcançar”, disse ele.

Sobre o circuito de Jeddah ser menos sensível a problemas de tração, Ocon comentou: “É um bom ponto. Vamos ver aonde isso nos leva. É uma pista que eu realmente gosto. Cheguei a estar na pole em 2021, o que foi bom. Quase cheguei ao pódio. Sempre terminei na zona de pontuação. Estou ansioso para pilotar nessa pista e me divertir. Acima de tudo, acho que é para isso que estamos aqui. Estou ansioso para ver o que podemos fazer”, encerrou o piloto francês.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ o GP da Arábia Saudita com o jornalista Rodrigo França direto de Jeddah.