F1: Nova regra do DRS pode tornar corridas mais difíceis em 2024, segundo Sainz

O piloto da Ferrari, Carlos Sainz, acredita que a temporada 2024 da Fórmula 1 será cheia de desafios em algumas pistas, devido à nova regra do DRS. Desde a introdução do mecanismo em 2011, os pilotos só podiam abrir a asa móvel para reduzir o arrasto e aumentar a velocidade máxima após a segunda volta da corrida.

No entanto, para a temporada de 2024, a regra foi alterada e agora os pilotos podem usar o DRS a partir da primeira volta, desde que estejam a menos de um segundo do carro da frente no ponto de detecção.

Sergio Perez, da Red Bull, usou o DRS para pular da quinta para a segunda colocação no Bahrein, e acredita que a mudança na regra criará um tipo diferente de corrida em circuitos de rua.

“Definitivamente muda a forma como você corre, especialmente com os carros ao seu redor”, disse Perez ao Motorsport Week. “Quando você está em uma disputa, tem o DRS logo de cara. Vi Carlos perder o DRS cedo e ficar fora da briga por algum tempo. O carro da frente fica sozinho, com ar limpo, mas desgasta mais os pneus.”

“Então, é uma desvantagem se você estiver disputando posições em lugares como Baku ou Jeddah. Acho que a corrida vai ser diferente. Muda as coisas para o carro da frente nas primeiras voltas. Vai ser interessante. A primeira parte entre Mercedes, Ferrari e eu foi bem movimentada no Bahrein. Acho que essa mudança no DRS está fazendo a diferença”, acrescentou Perez.

Sainz destacou que será um jogo de equilíbrio não superaquecer os pneus ao tentar entrar na zona de DRS, estratégia que ele utilizou com perfeição para conquistar o pódio na terceira posição no Bahrein.

“Acho que a estratégia entra muito em jogo, principalmente por causa da sensibilidade dos pneus ao esforço”, acrescentou Sainz. “Por um lado, você quer forçar para sair do DRS ou entrar nele. Por outro lado, você quer economizar pneus, porque sabemos como eles são sensíveis nas primeiras voltas. É uma linha tênue.”

“Então, assim que percebi que não tinha pressão de trás, decidi cuidar dos meus pneus e deu certo, em vez de entrar na batalha pelo DRS. E então pude ultrapassá-los sem problemas. Vai depender da pista. Acho que será uma temporada muito complicada com 24 corridas assim. Vai ser um desafio, mas é outra coisa interessante para se pensar”, encerrou o espanhol.