F1: Norris critica decisão da FIA em Mônaco: “Injusto e frustrante”

Após o Grande Prêmio de Mônaco de F1, Lando Norris expressou sua insatisfação com a decisão da FIA de permitir que Carlos Sainz reiniciasse a corrida a partir da terceira posição do grid depois de uma parada nos boxes gratuita. A situação ocorreu após Sainz, e Oscar Piastri, da Mclaren se envolverem em um incidente que resultou em um furo no pneu do carro do Sainz, colocando-o para final do grid.

Norris, da equipe McLaren, testemunhou seu amigo Sainz, da Ferrari, alcançar um pódio improvável após o caos da primeira volta e a bandeira vermelha. Sainz, após receber uma parada nos boxes gratuita durante a interrupção da corrida, conseguiu manter sua posição e garantir um lugar no pódio.

No entanto, Norris não ficou satisfeito com a decisão da FIA. Ele considerou a situação “frustrante e injusta”, argumentando que Sainz foi beneficiado por um erro que ele próprio cometeu na pista.

“Carlos teve bastante sorte por haver uma bandeira vermelha porque ele estava fora, ou em último, e isso foi culpa dele. É sempre divertido pilotar aqui, mas ao mesmo tempo não há nada que você possa fazer, especialmente com a bandeira vermelha no início. Isso arruinou quaisquer outras oportunidades que poderiam ter surgido para nós com estratégia, economia de pneus e coisas assim. Então é uma pena,” disse Norris.

Embora reconheça que essas decisões fazem parte do esporte e que as regras são regras, Norris acredita que situações como essa destacam inconsistências e podem afetar negativamente o resultado final da corrida.