F1: Mudanças contra o ‘porpoising’ favoreceram a Red Bull, segundo diretor da equipe

A Red Bull se beneficiou inesperadamente das mudanças de regulamento implementadas para a temporada 2022 da Fórmula 1, ao resolver o problema de ‘porpoising’ que afetou todos os carros da categoria naquela temporada, segundo o próprio time.

Enquanto a rival Mercedes lutou muito contra o problema e pressionou por alterações no regulamento, a Red Bull aproveitou a situação para consolidar sua hegemonia. Ao final das últimas duas temporadas, o time de Milton Keynes conquistou nada menos que 86% das vitórias.

Falando em entrevista à Racecar Engineering, Ben Waterhouse, diretor de engenharia de performance da Red Bull, afirmou que a equipe não esperava tal vantagem na nova era da F1. “Foi tudo sobre entender as novas regras e otimizar os parâmetros,” disse ele. “Mas ainda havia muitas incógnitas. Sabíamos algo sobre os pneus e tínhamos uma ideia do mapa aerodinâmico, mas nunca é certo até ver tudo funcionando na pista.”

A Red Bull venceu 17 corridas em 2022, com Max Verstappen conquistando seu segundo título na F1. Ao aplicar o aprendizado do RB18 ao carro do ano passado, o RB19, a equipe dominou de forma ainda mais impressionante, conquistando todas as vitórias com exceção de uma, o GP de Singapura que foi vencido por Carlos Sainz da Ferrari.

“Com toda a temporada de 2022 com o RB18, sabíamos que era um ótimo carro, mas também que tinha limitações,” continuou Waterhouse. “Isso significava que tínhamos um foco claro do que precisávamos fazer para melhorá-lo. O RB19 começou em uma posição muito melhor. Não é segredo que o RB18 começou um pouco acima do peso, e permaneceu assim durante a temporada. Então havia um tempo de volta ‘extra’ no RB18 que percebemos no RB19.”

Embora a FIA tenha introduzido mudanças na altura do assoalho e do difusor para limitar o ‘porpoising’, Waterhouse afirmou que essas alterações beneficiaram ainda mais a Red Bull.

“No RB18, havia problemas com as bordas do assoalho tocando o chão regularmente,” disse Waterhouse. “Havia danos em alguns componentes do assoalho. Então do nosso ponto de vista, não foi um desastre a necessidade de levantar a borda do assoalho para evitar esses problemas. Além disso, passamos para uma área menos sensível aerodinamicamente quando não estamos interagindo tanto com o chão. Para nós, não foi uma mudança negativa”, concluiu.

A inesperada vantagem da Red Bull com as mudanças de regulamento, foi mais um elemento na estratégia bem-sucedida da equipe que culminou em um domínio impressionante nos últimos dois anos. Com o RB20 já sendo desenvolvido, resta saber se a hegemonia da equipe vai continuar em 2024.