F1: Leclerc diz que adaptação com novo engenheiro foi difícil em Ímola

Charles Leclerc admitiu a dificuldade de se adaptar a um novo engenheiro de corrida no GP da Emília-Romanha de Fórmula 1. Antes do fim de semana de corrida, a Ferrari anunciou uma reestruturação interna, colocando Bryan Bozzi no lugar de Xavi Marcos como responsável pela comunicação com Leclerc na pista.

O papel do engenheiro de corrida é de extrema importância, pois ele se comunica constantemente com o piloto durante a prova, funcionando como elo entre a equipe e o carro. Leclerc trabalhava com Marcos desde sua chegada à Ferrari em 2019, e reconheceu o desafio inicial de se adaptar à mudança na corrida em Ímola.

“Ele (Bozzi) se saiu muito bem”, disse Leclerc à imprensa. “Mas é sempre complicado quando há uma troca, especialmente no meio da temporada, como foi o caso aqui. Tínhamos muita coisa nova para ele se adaptar rapidamente. Além disso, Johannes (Hatz), meu engenheiro de performance, também era novo na pista, então, eu tinha duas pessoas na minha equipe que estavam estreando em suas funções, e isso foi bem difícil no começo. Mas na verdade, eles fizeram um trabalho incrível e tudo correu bem. Agora vamos trabalhar para melhorar ainda mais, mas foi um bom começo.”

Leclerc parecia estar na briga pelo segundo lugar em Ímola, mas um erro na curva 14 atrapalhou sua investida. No entanto, o piloto monegasco afirmou que a perda de ritmo se deveu ao aumento de velocidade de Lando Norris à sua frente, e não a uma queda em seu próprio desempenho.

“Para ser sincero, meu ritmo foi bem parecido durante toda a corrida”, disse ele. “Foi mais Lando que ganhou bastante velocidade, e não consegui mais entrar no DRS. Então, eu estava em uma posição intermediária em relação ao Lando, onde você não tem os benefícios do DRS, mas está perdendo nas curvas. No começo do stint, com os pneus duros e a nossa vantagem de ritmo, eu conseguia chegar no DRS.”

“Mas assim que perdi o DRS, foi no mesmo momento em que Lando começou a forçar um pouco mais. E as duas coisas juntas me fizeram recuar um pouco. Eu também precisava tentar algo diferente. Sabia que administrar os pneus e atacar Lando no final não era a estratégia certa, porque a vantagem de ritmo não era suficiente. Então, tentei apenas pressioná-lo um pouco mais”, encerrou o piloto monegasco.