F1: Hamilton destaca a necessidade de mais diversidade e inclusão na Fórmula 1

Lewis Hamilton, uma das figuras mais proeminentes da Fórmula 1, tem sido um defensor ativo da igualdade e representatividade dentro do esporte. Conhecido por apoiar o movimento Black Lives Matter e por estabelecer a Mission 44, Hamilton acredita que, apesar dos avanços, ainda há um longo caminho a percorrer.

A Mission 44 é uma fundação sem fins lucrativos que apoia organizações, líderes e ideias ousadas para remodelar o futuro e capacitar jovens de comunidades desfavorecidas. A fundação parte do princípio de que todo jovem merece a oportunidade de prosperar, independentemente de seu passado. Hamilton investe significativamente de seu próprio dinheiro nesta causa.

Durante a foto anual da equipe em Abu Dhabi, Hamilton manifestou sua decepção com a diversidade dentro da equipe Mercedes. “Ainda olho e penso: caramba, ainda temos muito trabalho a fazer. Há apenas três pessoas de cor. Mas há muito mais mulheres. Ainda assim, isso precisa mudar”, disse ele durante uma coletiva de imprensa.

Hamilton observa que, desde 2019, não houve diferença suficiente na composição da equipe. “Tenho quase certeza de que não progrediu tanto quanto deveria. E então, o desafio é ver como podemos mudar isso. É um longo caminho”, explicou.

Este posicionamento de Hamilton reflete uma crescente consciência dentro da Fórmula 1 sobre a importância da diversidade e inclusão. Seu compromisso com a Mission 44 e seu contínuo ativismo ressaltam o papel vital que figuras influentes podem desempenhar na promoção de mudanças significativas. À medida que o esporte avança, a necessidade de um ambiente mais inclusivo e representativo torna-se cada vez mais crucial, não apenas para o desenvolvimento do esporte, mas também para garantir que ele seja acessível e acolhedor para todos.