F1: Haas tem final de semana para ser esquecido

A Haas teve um final de semana para ser esquecido no GP de Mônaco de Fórmula 1, depois que um toque ainda na primeira volta entre o piloto da equipe, Kevin Magnussen e Sergio Perez da Red Bull, resultou em uma forte batida do mexicano, que acabou tocando no outro piloto da Haas, Nico Hulkenberg, no que resultou no abandono dos três pilotos.

Ayao Komatsu, chefe da equipe: “Começando em 19º e 20º, tínhamos um plano estratégico alternativo para tentar tirar algum proveito disso, mas infelizmente nossa corrida terminou na primeira volta. Foi um domingo para esquecer e só temos que aprender com este fim de semana e seguir em frente e conseguir um bom resultado no Canadá”, concluiu.

Hulkenberg: “Estou desapontado e um pouco arrasado, para ser honesto, por estar fora depois de 500 metros. Obviamente, está longe de ser ideal ter os dois carros fora, e fui levado por um incidente no qual não estive diretamente envolvido. Obviamente, é bastante estreito aqui até a curva 3. É uma pena, as coisas estavam ficando muito apertadas lá, mas foi um incidente de corrida. Talvez tenha sido um pouco otimista da parte de Kevin, mas Checo (Sergio Perez) também poderia tê-lo visto e deixado espaço, então o resultado é obviamente infeliz”, acrescentou.

Magnussen: “Eu estava com a frente ao lado da traseira de Perez desde a saída da curva 1, na preparação para a curva 3. Ele vai em direção ao muro, onde o muro volta um pouco em direção à pista, e eu não tinha para onde ir. Não sei se ele não me viu, mas não posso simplesmente desaparecer do nada, então fiz contato com a parede e com ele ao mesmo tempo, e batemos. É frustrante e um acidente como este tem um grande custo para a equipe em termos de peças de reposição e fabricação de peças novas, além de muito trabalho para a equipe, então nunca é bom”, finalizou.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ todas as atividades do GP de Mônaco com o jornalista Rodrigo França.