F1: Haas fornece explicação detalhada sobre desclassificação dupla na qualificação em Mônaco

O chefe da equipe Haas, Ayao Komatsu, forneceu uma explicação completa e honesta sobre a desclassificação de Nico Hulkenberg e Kevin Magnussen na qualificação para o Grande Prêmio de Mônaco. Ambos os pilotos haviam avançado para o Q2 e estavam programados para começar em 12º e 15º no grid, respectivamente. No entanto, três horas e 15 minutos após o término da qualificação, os carros foram desclassificados devido a uma infração técnica.

Após a inspeção, foi descoberto que “as posições ajustáveis do elemento superior da asa traseira excederam o máximo permitido de 85mm”, conforme relatado pelos comissários. A explicação da Haas aos comissários foi que as novas asas traseiras para este fim de semana não foram verificadas completamente, resultando em um “erro inadvertido na configuração do espaço do flap da asa”.

Komatsu declarou que não há desculpas e que houve uma falha de comunicação simples. “O problema é que a asa foi projetada de uma maneira ligeiramente diferente, e houve uma falta de comunicação da intenção do design para os caras que fazem as verificações de legalidade na pista”, disse Komatsu. “Eles não perceberam essa mudança no conceito, onde estaria o limite, que são as duas extremidades. Em asas anteriores, o limite sempre estava em torno do centro. Então, eles verificaram da mesma maneira.”

Komatsu se recusou a apontar a culpa para qualquer indivíduo ou grupo específico. “Se os designers tivessem deixado absolutamente claro que o design era ligeiramente diferente das asas que estávamos usando, e que deveria ser verificado dessa maneira, isso teria ajudado. Ao mesmo tempo, mesmo sem essa informação, os caras da verificação de legalidade na pista deveriam ter verificado toda a superfície legal.”

Komatsu enfatizou que não houve ganho de desempenho, mas que isso não é o ponto principal. “Não há ganho de desempenho, absolutamente zero, mas esse não é o ponto. Os carros devem estar legais.”

A equipe teve uma reunião para discutir o incidente e garantir que lições sejam aprendidas para evitar erros futuros. Com Hulkenberg e Magnussen começando da 19ª e 20ª posições no grid, a equipe agora enfrenta grandes dificuldades para a corrida.

“Temos que aceitar isso como equipe, encarar de frente e agora vai ser uma tarde longa em Mônaco”, disse Komatsu. “Só temos a nós mesmos para culpar. Temos que assumir a responsabilidade e seguir em frente.”

Komatsu confirmou que ajustes simples foram feitos nas asas traseiras de ambos os carros para garantir que agora estejam em conformidade com os regulamentos, permitindo que Hulkenberg e Magnussen possam competir.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ todas as atividades do GP de Mônaco com o jornalista Rodrigo França.