F1: Fry acredita em McLaren e Ferrari na briga, mas descarta a Mercedes

O ex-diretor executivo da Mercedes, Nick Fry, não poupou em suas previsões para a temporada 2024 da Fórmula 1. Enquanto muitos esperam uma revanche da Mercedes contra a hegemonia da Red Bull, Fry aponta para McLaren e Ferrari como os verdadeiros concorrentes ao título, além da própria Red Bull.

“Sinto que a McLaren continuará a evoluir. Espero que eles estejam em posição de vencer corridas. Não tenho certeza se eles são bons o suficiente para derrotar Red Bull ou Ferrari de forma consistente ainda, acho que pode ser um exagero”, disse Fry ao OLBG.com.

O otimismo em relação à McLaren se baseia no salto que a equipe deu em 2023, com o carro B-spec e a ascensão de Lando Norris, além do bom desempenho do estreante, Oscar Piastri. Já a Ferrari, segundo Fry, recebe um voto de confiança pela presença do chefe de equipe, Fred Vasseur.

“Acho que a Ferrari continuará a melhorar”, disse ele, citando a influência de Vasseur. “Vasseur é muito experiente como líder de equipe, e acho que ele protegerá o time das pressões da imprensa italiana. Ele fará um bom trabalho nisso e manterá a equipe calma.”

No entanto, Fry foi duro com a sua antiga casa, a Mercedes. A perda de pessoal-chave para a Red Bull e a saída de Mike Elliott no ano passado, somadas a decisões estratégicas questionáveis, o levam a uma conclusão sombria.

“Sinto muito dizer isso, mas não vejo a equipe técnica tão forte em minha antiga equipe, a Mercedes. Competir com a equipe de Adrian Newey é uma missão árdua”, afirmou Fry.

“Eles são uma ótima equipe de pessoas, mas ficaram para trás ao escolher um caminho técnico diferente. A taxa de melhoria é significativa ano após ano, mas passar um ano ou dois com um conceito diferente que não funciona, resulta em problemas. É fácil dizer isso em retrospectiva, mas eles estão aprendendo o que a Red Bull aprendeu há muito tempo. É difícil recuperar o atraso. Tenho certeza que serão bons, mas não sei se serão excepcionais.”

“Não vejo a Mercedes superando a Red Bull de forma consistente. É difícil para mim admitir isso, pois tenho um profundo apego a eles, mas acho que será difícil este ano”, encerrou.

Em resumo, a previsão de Fry coloca a Red Bull como favorita, mas com a McLaren ganhando espaço e a Ferrari surgindo como uma ameaça real. A Mercedes, por outro lado, precisará de uma reviravolta para voltar ao topo do pódio, na opinião de Fry.