F1: Ford avalia impacto das acusações contra o chefe da Red Bull

A gigante automobilística Ford se mantém cautelosa sobre a parceria já anunciada com a Red Bull para a temporada 2026 da Fórmula 1, diante das acusações de má conduta contra o chefe da equipe, Christian Horner.

Horner enfrenta uma investigação interna após denúncias de comportamento inapropriado por parte de uma funcionária. Recentemente, surgiram informações na mídia holandesa sobre uma tentativa de acordo amigável, que foi negada pela equipe.

Horner já se defendeu publicamente, garantindo tratar-se de ‘assuntos internos’ e que o trabalho segue normalmente. No entanto, a situação levanta dúvidas sobre a continuidade da parceria entre Ford e Red Bull, programada para 2026.

Mark Rushbrook, chefe global da Ford Performance Motorsport, esclareceu a posição da empresa: “Como companhia familiar com altos padrões de ética e comportamento, esperamos o mesmo de nossos parceiros”.

Rushbrook reforçou que a Red Bull parece estar levando a investigação a sério, assim como se preocupa com a imagem da marca. “Por isso, optaram por uma investigação independente. Até que a verdade seja esclarecida, é cedo para qualquer comentário definitivo”, concluiu.

Com a temporada da F1 prestes a começar e a parceria milionária talvez ficando pendente, o caso envolvendo Horner promete trazer novos desdobramentos nos próximos meses, até porque parece ter gerado uma divisão interna dentro da empresa de bebidas energéticas, Red Bull, que é proprietária da equipe de F1 Red Bull Racing.