F1: Komatsu acredita em lado positivo nas críticas de Gene Haas

O novo chefe da equipe Haas na Fórmula 1, Ayao Komatsu, defendeu positivamente as críticas feitas por Gene Haas aos resultados da equipe na última temporada, que foram descritos como ‘embaraçosos’ pelo próprio dono da equipe.

A equipe americana enfrentou uma temporada desafiadora em 2023, com problemas no desenvolvimento do carro e desgaste excessivo de pneus, resultando em um desempenho abaixo do esperado e na última posição no Campeonato de Construtores.

Guenther Steiner, que estava no comando desde o início da Haas, não foi mantido além do final do ano passado, com Komatsu sendo promovido para substituir o italiano como chefe da equipe.

Komatsu, ex-diretor de engenharia de pista na própria Haas, expressou apoio aos comentários negativos de Gene Haas, destacando que a insatisfação do proprietário com a situação atual da equipe serve como um impulso motivacional.

“Gene, no momento, quer sair do final do grid”, disse Komatsu ao Autosport. “Você viu e ouviu o quão infeliz Gene estava. Quero dizer, é claro, quem ficaria feliz correndo na última posição? É embaraçoso. Realmente é embaraçoso.”

“Então, acho positivo que Gene esteja infeliz com onde estamos. Se as pessoas na equipe pensarem: ‘Ok, estamos em último, e não temos certeza para onde vamos porque Gene não diz nada’, então eles vão pensar que Gene está feliz apenas fazendo número e sendo P10 Isso claramente não é o caso. Isso é realmente motivador para todos aqui. Ok, Gene está levando a sério, ele quer melhorar a equipe. Então, vamos fazer isso juntos”, acrescentou.

Apesar de Gene Haas não estar presente em todos os GPs, Komatsu elogiou a abordagem do americano para indicar como ele deseja que a equipe evolua: “Ele é muito entusiasmado. Ele pode não entender necessariamente os detalhes das equipes de Fórmula 1, mas pelo menos ele me dá uma direção clara do que ele quer da equipe, o que é bom.”

“E então, como alcançar isso, esse é o meu trabalho com todos os outros. Não posso fazer isso sozinho. Não tenho planos de fazer isso sozinho. Preciso que todos estejam trabalhando juntos, mas pelo menos sei o que ele quer e ele é bastante claro”, disse ele.

Komatsu também elogiou o interesse compartilhado por Gene Haas, acreditando que seu envolvimento emocional na equipe, contrasta com o desinteresse que ele percebeu em níveis mais altos com a antiga equipe Lotus-Renault.

“É bom porque ele (Gene Haas) está muito envolvido e muito entusiasmado”, afirmou Komatsu. “Uma das diferenças que notei quando cheguei aqui, em comparação com a minha equipe anterior, que passou por vários proprietários, é que eles não estavam interessados de forma alguma. Era apenas um investimento para eles.”

“Não se importavam com o lado das corridas. Tudo o que queriam era participar de alguns track days com um carro antigo de Fórmula 1. Honestamente, não se importavam. Isso foi muito decepcionante, mas uma das coisas mais revigorantes ao chegar aqui em 2016 foi o dono, Gene Haas. Ele era muito apaixonado por isso”, afirmou.

“Me lembro, acho que foi nos testes de pré-temporada quando tivemos uma falha no carro, ele estava na garagem olhando para a peça, porque ele se interessa pelo hardware e pelo lado mecânico das coisas. Ele estava muito interessado em entender e saber o que deu errado. Acho bom que este proprietário seja apaixonado pelo que está investindo”, encerrou Komatsu.