F1: Destino de mecânico-chefe que deixou a Red Bull deve ser a Sauber

Lee Stevenson, veterano mecânico-chefe da Red Bull Racing, anunciou ontem sua saída da equipe através do Instagram. O britânico, que atuou por 18 anos como mecânico-chefe da equipe e também de Max Verstappen, revelou que seguirá para uma equipe ‘do outro lado do pit lane’, sem citar qual seria essa equipe. Seu novo destino, de acordo com o GPblog, será a Sauber, que compete atualmente sob o nome Stake F1 Team.

A mudança de ares para Stevenson já havia acontecido nos bastidores. Apesar do anúncio oficial na sexta-feira (29), o mecânico não vinha trabalhando com a Red Bull há algum tempo devido a um ‘período de jardinagem’, cláusula contratual que impede um profissional de atuar por uma nova equipe imediatamente.

Enquanto isso, a Sauber, que será totalmente adquirida pela Audi em 2026, já havia acertado a contratação de Stevenson em 2023. A equipe suíça busca na experiência do britânico um salto de qualidade. Atualmente, a equipe ocupa a última colocação do campeonato de construtores, com o finlandês Valtteri Bottas e o chinês Guanyu Zhou ainda zerados na pontuação. A má performance da Sauber está, em parte, relacionada a problemas nos pit stops, área onde Stevenson espera contribuir para uma evolução.

Parece ficar claro que o principal objetivo de Stevenson com essa mudança, é a chegada da Audi na Sauber em 2026, pois não faria muito sentido o experiente mecânico-chefe trocar a forte Red Bull Racing, que vem dominando a Fórmula 1 nos últimos três anos, por uma equipe de final do grid, repleta de problemas. Mas a chegada da Audi deve mudar bastante este cenário, e Stevenson fará parte desse processo.