F1: Chefes das equipes querem mudanças no formato das corridas Sprint

Os chefes das equipes da Fórmula 1 estão instando a categoria a se comprometer com uma solução de longo prazo, em vez de implementar mudanças contínuas na tentativa de aprimorar o formato das corridas Sprint.

Introduzida em 2021, a corrida Sprint visava melhorar determinados finais de semana de GP, mas alterações substanciais foram feitas nos anos seguintes em resposta a críticas.

Na última temporada, a F1 decidiu dobrar o número de eventos Sprint de três para seis e ampliou as posições de pontuação dos três primeiros para os oito primeiros.

Este ano, mais mudanças ocorreram com a introdução de uma segunda sessão de classificação, chamada ‘Sprint Shootout’, no lugar do TL2, para separar as sessões Sprint do GP.

No entanto, o cronograma revisado continuou dividindo opiniões após eventos pouco empolgantes, que revelaram antecipadamente as tendências de desempenho dos carros antes da corrida principal no domingo.

Durante o final de semana do GP de Abu Dhabi, foi anunciado que a Comissão da F1 aprovou a possibilidade de mais modificações serem propostas para a próxima temporada.

O chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, que já defendeu a adição de corridas com grids invertidos, disse que quaisquer ajustes devem ser aplicados com uma mentalidade de longo prazo. “Isso é onde você precisa fazer a pesquisa”, disse Horner. “Acho muito importante que o próximo passo que damos seja algo fixo por um longo período de tempo.”

Dentre os que mais se opuseram ao formato está o atual campeão, Max Verstappen, que expressou que não sente ‘nenhum prazer’ em vencer uma corrida Sprint.

Nesse contexto, Horner destaca a importância de considerar a opinião dos fãs em qualquer proposta a partir de 2024. “O feedback dos fãs terá um papel crucial nisso, em termos do que o público realmente deseja”, reiterou.

Andrea Stella, da McLaren, concordou com Horner, afirmando que a F1 deve evitar mudanças drásticas a cada ano para permitir que quaisquer revisões sejam minuciosamente avaliadas.

“Existem aspectos positivos nos eventos Sprint”, disse Stella. “Precisamos dar tempo para absorver algumas formas diferentes de interpretar os finais de semana de corrida da Fórmula 1. E precisamos garantir que não mudemos com muita frequência, porque então, não teríamos esse tempo para nos adaptar a uma certa maneira que pretendemos para um fim de semana de corrida da Fórmula 1”, concluiu Stella.