F1
|
11 de junho de 2024 11:27

F1: Chefe da Mercedes elogia avanços e ritmo da equipe

Toto Wolff, chefe da Mercedes, acredita que a equipe resolveu seus problemas de correlação, e as atualizações recentes proporcionaram um ritmo muito mais forte no GP do Canadá de Fórmula 1.

A equipe alemã vem fazendo progressos graduais desde o início de temporada 2024. Após liderar os treinos finais em Montreal, George Russell confirmou o favoritismo e conquistou a pole position, superando Max Verstappen da Red Bull. No entanto, Russell lamentou alguns erros na corrida que o fizeram terminar em terceiro, enquanto Lewis Hamilton criticou sua própria pilotagem, apesar de ter ido do sétimo na largada ao quarto lugar no final da prova.

Mesmo com os dois pilotos acreditando que a Mercedes tinha ritmo para vencer em Montreal, Wolff afirma que a equipe deve estar satisfeita por estar de volta à briga pelo topo.

“Acho que quando você termina em terceiro e quarto, vindo de onde estávamos, é uma corrida positiva”, disse Wolff ao Independent. “Terceiro e quarto é muito melhor do que tivemos nas últimas corridas, então isso é bom, mas acho que os dois pilotos viram que havia mais para ser conquistado. Poderíamos ter ganhado uma ou duas posições, e é por isso que há um certo sentimento negativo. Mas se você tivesse oferecido a eles o terceiro e quarto lugar antes do fim de semana, provavelmente eles teriam aceitado.”

Hamilton foi destaque no TL3, ficando a mais de três décimos na frente do pelotão, mas Wolff também ficou impressionado com a sequência de voltas longas que ele conseguiu. “Na verdade, no TL3, Lewis fez uma volta que estava fora do comum, e depois sua sequência de voltas longas foi estratosférica, galáctica”, afirmou.

No entanto, o piloto britânico ficou confuso por não ter conseguido traduzir aquela velocidade para a sessão de classificação, onde terminou em sétimo, 0,280s atrás do companheiro de equipe Russell. Com Russell também confuso por não ter melhorado com pneus macios novos em comparação aos usados em sua última tentativa no Q3, Wolff admitiu que a Mercedes tem pontos para investigar.

“Havia muito ritmo, mas na classificação parecemos ser muito fortes no começo e depois perdemos um pouco de desempenho”, disse ele. “Talvez pudéssemos ter otimizado no final, mas o carro estava muito rápido.”

A Mercedes introduziu uma asa dianteira atualizada em Mônaco, o que parece ter resolvido os problemas de equilíbrio que a equipe enfrentava entre alta e baixa velocidade. Wolff sugeriu que a Mercedes trará mais atualizações na próxima etapa, na Espanha, onde espera que uma pista mais convencional valide o progresso da equipe.

“Desde Ímola, tomamos as medidas certas e colocamos peças no carro que funcionaram, e isso é algo com o qual lutamos nos últimos anos. Parece que estamos indo na direção certa. Temos novas peças chegando em Barcelona, então espero que possamos continuar essa trajetória positiva”, completou Wolff.

This website is unofficial and is not associated in any way with the Formula 1 companies. F1, FORMULA ONE, FORMULA 1, FIA FORMULA ONE WORLD CHAMPIONSHIP, GRAND PRIX and related marks are trade marks of Formula One Licensing B.V.