F1: Brundle comenta dificuldades da Mercedes nos últimos dois anos

O ex-piloto de Fórmula 1 e atual comentarista, Martin Brundle, expressou preocupação com a situação atual da equipe Mercedes, afirmando que ela ‘claramente não é mais a força que já foi’, referindo-se ao período anterior dominante liderado por Toto Wolff. Ele afirma que o ano de 2024 será crucial para a estabilidade da equipe.

Apesar de terminar em segundo no campeonato de construtores este ano, a Mercedes ficou 454 pontos atrás da Red Bull em 2023, e Lewis Hamilton e George Russell não conseguiram conquistar nenhuma vitória na temporada. A decisão de manter o conceito ‘zeropod’ do W13, que causou tantos problemas em 2022, no W14 de 2023, parece ter impactado negativamente a performance da equipe, principalmente no início do ano.

Os últimos dois anos contrastam fortemente com o período dominante da equipe desde a introdução da era híbrida, destaca Brundle. “Não há dúvida de que a Mercedes claramente não é a força que era, porque não acertaram o carro de 2022 e não resolveram o problema para 2023”, disse ele em uma sessão de perguntas e respostas na Sky Sports.

“Além disso, houve muita movimentação de pessoal, porque obviamente são pessoas muito atraentes (para outras equipes) da era de domínio total que tiveram”, continuou. “Você vê isso em outros esportes, onde um grupo de pessoas aparentemente não podia perder, e de repente, não consegue mais vencer. É uma equipe poderosa, mas eles precisam realinhar seus astros novamente, e 2024 é um ano crucial para a Mercedes”, encerrou Brundle.