F1: AlphaTauri admite erro de não adotar suspensão da Red Bull desde o início de 2023

Após uma temporada de altos e baixos, a AlphaTauri reconheceu um erro crucial em seu desempenho. Não utilizar a suspensão da Red Bull desde o início da temporada 2023 da Fórmula 1. A equipe-irmã da Red Bull, teve um início de ano difícil, somando apenas cinco pontos nas primeiras 14 corridas.

No entanto, um pacote significativo de atualizações em Singapura, incluindo a suspensão traseira da Red Bull e uma série de assoalhos revisados, permitiu à AlphaTauri subir para o oitavo lugar no campeonato de cosntrutores. O CEO do time, Peter Bayer, admitiu que foi um equívoco a equipe desenvolver sua própria suspensão no AT04, deixando de aproveitar a solução comprovada do RB19.

“A decisão inicial de seguir nosso próprio caminho com essas peças críticas simplesmente foi um erro”, afirmou Bayer ao Autosport. “Os engenheiros sempre têm argumentos para justificar certas decisões, mas acredito que todos no paddock entenderam agora, que com a nova mudança de regulamento e o novo padrão de downforce, que depende tanto do assoalho, a suspensão é o próximo elemento mais importante. Você tem o assoalho e a suspensão. Se esses dois não funcionarem juntos, é melhor nem sair da garagem.”

Embora Bayer reconheça que integrar peças da Red Bull ao restante do carro desenvolvido pela AlphaTauri não seja simples, ele ressaltou o aprendizado da temporada: “Acho que essa é a grande lição para nós este ano. Mas ao mesmo tempo, o complicado para nós, como cliente, é que recebemos uma peça, mas temos que fazer essa peça funcionar, e isso é muito difícil. Veja algumas outras equipes que contrataram ex-aerodinamicistas e engenheiros da Red Bull, elas tiveram ganhos rápidos, mas o desenvolvimento constante não é tão fácil quanto parece.”

O diretor técnico da AlphaTauri, Jody Egginton, confirma que a equipe utilizará a suspensão frontal do carro campeão da Red Bull em 2023. “A cada ano, desde 2019, fazemos algo diferente em relação à sinergia com a Red Bull”, explicou Egginton. “Às vezes, fazemos um pouco mais e algo diferente, às vezes um pouco menos. No ano que vem, manteremos a traseira do nosso carro e adotaremos a suspensão dianteira da Red Bull. Portanto, estaremos um ano atrás.”

Egginton ressalta que o desafio não é apenas integrar a suspensão, mas entender o conceito do conjunto: “Sim, é um desafio, mas tem muitos pontos positivos. Vamos projetar e fabricar um novo chassi para o próximo ano, então teremos a oportunidade de adotar algumas peças. Quando o regulamento muda, você tem que olhar para as coisas de forma um pouco diferente, mas nós levamos isso ano a ano”, encerrou.

Ao admitir o erro e buscar uma aproximação maior com a Red Bull, a AlphaTauri espera dar um salto de qualidade em 2024 e brigar por posições mais altas no grid da Fórmula 1 nos próximos anos.