F1: Alonso acredita em recuperação rápida da Aston Martin

Fernando Alonso afirmou que a Aston Martin superará suas dificuldades em 2024, mais rápido do que outras equipes da Fórmula 1, graças à ambição do dono do time, Lawrence Stroll.

A chegada de Alonso à Aston Martin no início de 2023 coincidiu com a equipe se tornando a principal rival da Red Bull no início da temporada passada. O experiente piloto conquistou seis pódios nas oito primeiras corridas.

No entanto, a equipe sediada em Silverstone perdeu terreno no desenvolvimento do carro e Alonso só conseguiu subir ao pódio mais duas vezes ao longo do ano, com a Aston Martin caindo para a quinta colocação entre os construtores no final do ano.

Mesmo admitindo que a Aston Martin parece estar regredindo para o meio do grid em 2024, Alonso deposita sua confiança em Lawrence Stroll para inspirar uma rápida recuperação. O bilionário canadense investiu bastante desde que assumiu a equipe em meados de 2018, incluindo a inauguração de uma nova e moderna fábrica no ano passado.

“Isso só mostra que a Fórmula 1 é um esporte complexo”, disse Alonso sobre os problemas recentes da Aston Martin. “A McLaren, até a sétima corrida da Áustria no ano passado, estava brigando para sair do Q1. Eles têm uma ótima equipe, ótimas pessoas, ótimas instalações e uma grande marca por trás, e mesmo assim não passavam do Q1. E então eles encontram algo que faz o carro funcionar, e mudaram tudo.”

“É a mesma coisa para nós. No ano passado, até meados da temporada, éramos a equipe a ser observada e copiada. De repente, demos alguns passos para trás. Agora precisamos nos concentrar em nós mesmos para voltar ao topo. Ao contrário de outras equipes, temos um grande líder em Lawrence. Não temos apenas o dono da equipe, mas também uma pessoa extremamente competitiva por trás, e acho que vamos resolver as coisas mais rápido do que outras equipes graças a ele”, acrescentou.

Alonso teve um fim de semana para ser esquecido em Ímola no início deste mês. Ele bateu no TL3, saiu da pista na segunda volta da sessão de classificação e marcou o tempo mais lento no geral.

O bicampeão começou a corrida do pit lane com uma configuração alterada, e aproveitou para realizar uma espécie de sessão de testes com as atualizações mais recentes da Aston Martin.

Embora Alonso esteja disposto a sacrificar suas corridas para ajudar a Aston Martin a longo prazo, ele reconhece que há momentos em que precisa buscar o melhor resultado possível.

“Acho que caímos de rendimento em relação aos outros. Melhoramos o desempenho do nosso carro, mas os outros parecem ter dado um passo maior do que nós, e perdemos um pouco em termos de posições. Reconheço que não fui perfeito nessas duas corridas. Não pilotei bem o suficiente em Miami. Em Ímola, acho que foi mais a busca por respostas que me guiou em um fim de semana que eu sabia que os objetivos não seriam bons o suficiente para nos satisfazer”, completou o espanhol.