Desafios do efeito solo na F1: A lição para as regras de 2026

As regulamentações técnicas atuais apresentaram problemas, e Andrea Stella enfatiza a necessidade de aprendizado e adaptação

Andrea Stella, chefe da equipe McLaren, insistiu que a Fórmula 1 deve aprender com os erros cometidos na implementação das atuais regulamentações técnicas quando um novo conjunto de regras for introduzido em 2026.

As atuais regulamentações trouxeram uma filosofia de efeito solo, substituindo componentes aerodinâmicos na parte superior dos carros para promover corridas mais próximas, permitindo que os carros acompanhassem melhor através das curvas.

No entanto, vários problemas surgiram desde a introdução das regulamentações, notavelmente o desconforto com o porpoising que os pilotos tiveram que lidar.

Embora muito menos extremo agora do que no primeiro ano, o porpoising ainda existe, e Stella insistiu que tais desafios indesejados devem ser erradicados com o próximo conjunto de regulamentações.

“De um ponto de vista técnico e de engenharia, acho que as regulamentações de 2022 surpreenderam com alguns desafios não intencionais,” disse Stella.

“Fizemos um longo caminho na compreensão desses desafios e essa é a razão pela qual esses carros são muito mais confortáveis de pilotar agora, mas ainda podem ser bastante complicados.”

“Se você pegar as seções de alta velocidade, eles ainda tendem a oscilar um pouco, você obtém um pouco de ‘porpoising’ e os carros podem ficar bastante instáveis por causa desse fenômeno.”

“Então não é apenas o conforto, mas também o quanto no limite o carro se torna quando começa a ter essas oscilações dinâmicas.”

Apesar de uma série de pesquisas ter sido conduzida antes da implementação das regulamentações, Stella apontou para os avanços tecnológicos recentes que ajudarão ainda mais no lançamento dos novos carros de 2026.

“Todo esse aprendizado deve ser levado em conta ao projetar as regulamentações de 2026,” adicionou Stella.

“Seria inconveniente e um trabalho incompleto se, em 2026, os carros tiverem tipos similares de problemas como em 2022, ou se tivermos problemas não intencionais novamente porque ainda temos tempo para estudar, e até mesmo as ferramentas em alguns anos melhoraram ainda mais.”

“Devemos chegar em boa forma em 2026 porque o que aconteceu em 2022 foi muito desafiador e, às vezes foi desconfortável para os pilotos, às vezes foi extremo e às vezes foi perigoso porque os carros se tornaram bastante instáveis.”

“Então, definitivamente precisamos mirar estar em uma forma melhor e agora temos as ferramentas para fazer isso.”