Chefão da F1 pressiona para Horner considerar saída da Red Bull

O futuro de Christian Horner como chefe de equipe da Red Bull Racing está sob crescente escrutínio, com relatos indicando que tanto o ex-supremo da F1, Bernie Ecclestone, quanto o atual CEO da F1, Stefano Domenicali, estão aconselhando Horner a considerar discretamente se afastar do seu papel na equipe. Esta sugestão surge em meio a uma investigação interna conduzida por um advogado independente, designado pela empresa matriz austríaca da Red Bull, sobre alegações de “comportamento inapropriado” por parte de Horner.

A investigação, que envolveu uma sessão de oito horas de questionamentos na última sexta-feira, está atualmente em um estado de incerteza, com o advogado encarregado indo de férias e o resultado ainda desconhecido. A situação é prevista para se estender além do lançamento do carro de 2024 da Red Bull nesta semana e, possivelmente, do início dos testes de pré-temporada.

Os detalhes específicos das alegações contra Horner ainda não foram tornados públicos, mas foi relatado que uma funcionária de nível médio da gerência, cujo nome está sendo mantido em privacidade, sentiu-se pressionada de maneira que não condiz com os padrões morais modernos.

Ecclestone, que tem uma relação próxima com Horner, já teria aconselhado privadamente o chefe da equipe a se demitir. Agora, parece que Domenicali também está envolvido nos bastidores, agindo em nome dos proprietários preocupados da F1, a Liberty Media, aumentando a pressão sobre a Red Bull.

A situação fica ainda mais complicada pelo fato de Horner supostamente ainda contar com o apoio dos co-proprietários tailandeses da Red Bull, que possuem 51% da empresa. No entanto, Mark Mateschitz, que detém 49% da Red Bull e representa o lado austríaco da propriedade, juntamente com Dr. Helmut Marko e até o campo de Max Verstappen, estão inclinados a desejar a saída de Horner. Oliver Mintzlaff, co-CEO da Red Bull GmbH, é cotado como um potencial substituto.

Essa pressão de várias frentes coloca Horner em uma posição precária, enquanto a Red Bull Racing se prepara para uma nova temporada na Fórmula 1. A equipe, conhecida por sua competitividade e inovação, enfrenta agora um período de incerteza em sua liderança, com consequências potenciais para sua operação e desempenho nas pistas. A comunidade da F1 aguarda ansiosamente por mais desenvolvimentos nesta situação em evolução.