Stock Car
|
11 de junho de 2024 10:40

Líder na temporada 2024 da Stock Car, Suzuki destaca: “Melhor momento que já tive”

Rafael Suzuki deixou Cascavel, palco da quarta etapa da temporada 2024 da Stock Car, na liderança do campeonato. O piloto vive fase especial em sua trajetória: ao mesmo tempo em que comemora uma década no grid, o paulista consolida a cada fim de semana o encaixe com sua nova equipe: a TMG Racing.

Em sete corridas disputadas na temporada, Suzuki venceu uma, a prova inaugural do campeonato, a sprint disputada no fim de semana da etapa de Goiânia, em 2 de março, e é o competidor que mais vezes subiu ao pódio, empatado com seu companheiro de equipe, Felipe Massa, com um total de três idas ao top-3 até o momento.

Rafael comanda a tabela de 2024 com 285 pontos, em cenário que ainda não contabiliza os tentos somados na corrida sprint da etapa do Velocitta, em março, onde o piloto finalizou em quinto lugar (somando assim 38 pontos na prova).

“Acho que o meu momento é o melhor que já tive, até pelo número de pódios versus etapa, momento de evolução… Fico feliz que a cada ano estou um passo à frente na minha evolução pessoal, então, que continue assim. É claro que vai ficando cada vez mais difícil, mas estou trabalhando bastante para poder ter um ano melhor que o outro, e tem dado certo”, disse Suzuki.

Além dos 10 anos que tem de Stock Car, o piloto reúne experiência correndo na antiga Fórmula 3 na América do Sul, Asiática, Alemã, Japonesa, com a bagagem de ter corrido no lendário Circuito da Guia, em Macau, e até mesmo nas Filipinas. A longa trajetória nas pistas o deixa com os pés cravados no chão ao falar sobre sua condição no campeonato. Entretanto, ao falar sobre o trabalho junto com a TMG, o batalhador Suzuki não poupou elogios.

“Ver o meu nome no topo do campeonato é um indicativo de que as coisas estão funcionando bem, de que o ano começou de uma forma positiva, de que o trabalho e o entrosamento com a TMG foram muito rápido. Vejo muito mais por esse lado do que exatamente por uma questão de definição de campeonato porque estamos ainda muito longe disso, com um terço só da temporada”, salientou.

“Estou muito feliz por trabalhar com a TMG. Fica perto de casa e posso ir bastante à oficina. O Thiago Meneghel é um cara que tem muito foco nessa questão técnica e lidera o time de uma forma muito bacana. Vejo a equipe toda muito motivada, um grupo muito unido, o que reflete não apenas nos meus resultados, mas no resultado do time de uma forma geral”, continuou.

Um aspecto que chama a atenção na trajetória de Suzuki na Stock Car diz respeito a muitos dos seus companheiros de equipe. Rafael já dividiu os boxes com pilotos com experiência em categorias top do automobilismo mundial, como Luciano Burti, Nelsinho Piquet, Rubens Barrichello e Tony Kanaan.

“É um grande privilégio. Eu, que nunca corri de Indy ou Fórmula 1, me sinto um privilegiado por poder estar ali aprendendo, absorvendo e observando como esses pilotos trabalharam, o que eles aprenderam ao longo da carreira deles, o que deu super certo. É muito bacana”, destacou o piloto do Chevrolet Cruze #8 na Stock Car.

“E trabalhar com o Massa tem sido muito legal porque o Felipe é um cara que lida muito bem dentro da equipe com todo mundo, tem uma autoestima muito boa, é competitivo, e a gente tem uma boa relação, até porque a gente quer disputar na pista lá na frente, os dois juntos. E a gente sabe que precisa de um trabalho conjunto porque tem outros 28 carros lá no grid”, emendou Rafael.

Suzuki entende que o novo formato da Stock Car para a temporada 2024 coloca em evidência quem consegue obter a melhor performance em ritmo de classificação, cenário que permite boas colocações nos grids das corridas sprint e principal de cada etapa. Rafael conseguiu se posicionar entre os 12 primeiros em cada uma das classificações realizadas até agora neste ano.

“Isso nos tem ajudado muito, sobretudo estando ali bem posicionados nas duas corridas. Entretanto, em uma categoria como é a Stock Car, também não é garantia de nada: em uma corrida de 50 minutos, se você larga um pouco mais atrás, dá para recuperar na estratégia. Gostei do novo formato, acho que encaixou melhor com meu estilo porque dá para estudar bastante entre a classificação e a corrida sprint, e entre a corrida sprint e a principal. Gosto muito de analisar as coisas com bastante ênfase, de modo que tudo isso têm me ajudado bem”, explicou o piloto.

A próxima jornada de Rafael Suzuki na Stock Car será no fim de semana de 28 a 30 de junho no Autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu, no interior paulista. A sexta-feira vai marcar o complemento da etapa 2, com a corrida principal — na qual o piloto largará em quinto lugar —, onde estarão em jogo 80 pontos, enquanto sábado e domingo trazem a realização da quinta rodada do campeonato, com mais 137 tentos à disposição dos pilotos. Ao todo, serão 217 pontos em disputa no fim de semana, o que torna a etapa ainda mais importante para a sequência do campeonato.

“A meta é continuar ali bem posicionado e ter corridas fortes. Estamos pensando muito mais corrida por corrida do que no campeonato em si. É muito cedo [para focar no campeonato]. O que estamos trabalhando mais é em manter e melhorar a performance, largar bem e extrair o máximo. Se o máximo é um primeiro, terceiro, quarto ou quinto lugar, só vamos saber na hora, mas o objetivo é manter uma boa média. O Velocitta [em março] foi um fim de semana bom, onde tive minha melhor posição de largada até agora no ano. Então espero que lá siga sendo uma pista favorável para a gente”, finalizou.

This website is unofficial and is not associated in any way with the Formula 1 companies. F1, FORMULA ONE, FORMULA 1, FIA FORMULA ONE WORLD CHAMPIONSHIP, GRAND PRIX and related marks are trade marks of Formula One Licensing B.V.