F1
|
10 de julho de 2024 17:19

F1: Mercedes foi precavida em relação a Russell

A Mercedes foi precavida em relação a futuras penalidades de grid, ao retirar George Russell do GP da Inglaterra de Fórmula 1. O piloto liderou a corrida nas voltas iniciais, mas precisou abandonar devido a um vazamento no sistema de água.

Com Russell em P4 e pressionando Max Verstappen da Red Bull, a Mercedes tomou a decisão de parar o carro para evitar danos maiores no motor. O diretor de engenharia de pista da equipe, Andrew Shovlin, explicou que o vazamento estava sendo monitorado desde o início da corrida, e que terminar a prova poderia resultar em penalidades mais severas para Russell na sequência da temporada.

O piloto britânico já está próximo do limite de trocas permitidas para componentes do motor em 2024. “Sabíamos que tínhamos um problema desde o começo da corrida”, disse Shovlin. “Não sabíamos se seria terminal, mas o vazamento no sistema de água estava causando perda de pressão. Ao parar o carro, protegemos a unidade de potência. Não terminar a corrida era a única opção para evitar que o motor fosse destruído e sofrêssemos penalidades de grid mais tarde.”

Apesar do abandono de Russell, a Mercedes teve motivos para comemorar em Silverstone. O companheiro de equipe de Russell, Lewis Hamilton, venceu a corrida, conquistando sua nona vitória histórica no circuito britânico.

Mesmo com o abandono, a Mercedes acredita que Russell tinha chances de pódio, ou até mesmo de vitória, caso o vazamento não tivesse ocorrido. Shovlin considera que a briga pela posição com Verstappen seria decisiva para o resultado final.

“Em uma corrida com tantas mudanças de clima, é difícil cravar uma posição final”, disse ele. “Se fosse uma corrida seca do começo ao fim, vendo como George largou e construiu uma vantagem, acho que teria sido uma tarde tranquila para ele.”

“No momento do abandono, Russell estava em quarto com pneus intermediários, pressionando Max. Para chegar ao pódio, ele provavelmente teria que ultrapassá-lo naquela volta, já que a troca para pneus secos com Lewis foi na hora certa. Então, o mínimo seria um quarto lugar, mas com a chance de brigar pelo pódio se conseguisse passar por Max na pista”, encerrou Shovlin.

This website is unofficial and is not associated in any way with the Formula 1 companies. F1, FORMULA ONE, FORMULA 1, FIA FORMULA ONE WORLD CHAMPIONSHIP, GRAND PRIX and related marks are trade marks of Formula One Licensing B.V.