F1: Decepção para a RB neste sábado em Barcelona

A RB teve uma péssima sessão de classificação para o GP da Espanha de Fórmula 1, apresentando um ritmo bem abaixo do esperado. Com isso, Yuki Tsunoda terminou a sessão em P17 e Daniel Ricciardo em P18.

Jody Egginton, diretor técnico: “É justo dizer que, apesar do trabalho árduo de todos e das mudanças feitas durante a noite, combinados com o feedback inicial sobre as atualizações, destacando que, em um nível macro, elas atenderam amplamente às expectativas, não conseguimos extrair o suficiente do carro até agora aqui em Barcelona. Com a disputa no pelotão intermediário tão acirrada, é muito fácil ir para o final do grupo se você estiver com dificuldades, o que infelizmente tivemos hoje. Em termos de equilíbrio do carro, houve alguma evolução. Isto por si só não foi suficiente, portanto, claramente, temos muito trabalho para fazer esta noite para extrair mais do carro, e uma grande parte desse trabalho será analisar em detalhe os dados aerodinâmicos que reunimos. Por outro lado, ambos os pilotos fizeram um bom trabalho apoiando a equipe de engenharia com feedback sobre os numerosos itens de teste que avaliamos aqui, e também extraindo o máximo dos carros que pudemos fornecer a eles, por isso temos muitos dados com os quais trabalhar para dar os passos necessários”, concluiu.

Tsunoda: “Temos lutado com o ritmo neste fim de semana e tentamos várias coisas para tentar melhorar e no final, me senti melhor na sessão de classificação do que nos treinos livres. Pelo menos estou feliz com a minha volta e sinto que consegui maximizar o pacote atual. Acho que é importante enfrentarmos este momento mais difícil juntos como equipe. É uma boa oportunidade para aprender com nossas lutas e crescer como equipe. O mais importante é permanecer positivo, e certamente o faremos”, acrescentou.

Ricciardo: “É um fim de semana complicado. Temos muitas peças novas no carro e ainda precisamos entender a melhor maneira de fazê-las funcionar. Depois de ontem, quando ainda estávamos procurando um pouco de equilíbrio, fizemos grandes mudanças durante a noite e hoje na sessão de classificação o carro parecia muito mais forte. Fizemos progressos em termos de sensação e equilíbrio, mas infelizmente ainda estamos numa situação difícil em termos de tempos de volta. Ficar no Q1 com os dois carros, principalmente usando três conjuntos de pneus macios cada, mostra que no momento não temos ritmo. Ainda há mais para encontrar e continuaremos trabalhando. Amanhã chegará rápido, mas temos algumas corridas pela frente com características de pista semelhantes, então obviamente precisamos descobrir juntos o que estamos perdendo”, finalizou o piloto australiano.