F1: Bottas critica falta de ação da FIA sobre limites de pista e pede mais atenção ao feedback dos pilotos

A discussão sobre os limites de pista na Fórmula 1 tornou-se um tópico quente recentemente, especialmente após o GP do Catar, onde foram notadas um total de 51 infrações e quatro pilotos receberam múltiplas penalidades. Valtteri Bottas, piloto da Alfa Romeo, expressou sua preocupação de que a FIA não está levando a sério o feedback dos pilotos sobre este assunto crítico.

De acordo com Bottas, a questão dos limites de pista é algo que precisa de uma abordagem mais eficaz da FIA. “Eu acho que é um trabalho árduo para a FIA monitorar cada piloto em cada curva em cada volta, é quase impossível”, disse ele. O piloto finlandês acredita que a falta de mudanças significativas para combater o problema foi surpreendente.

No GP dos Estados Unidos, por exemplo, a FIA optou por estender os limites de pista em algumas curvas, incluindo a Curva 19, onde Max Verstappen foi privado da pole position. No entanto, George Russell ainda foi penalizado com cinco segundos de tempo por ultrapassar fora da linha branca durante a corrida Sprint de sábado. “O que todos os pilotos ficaram bastante surpresos foi que não houve mudanças feitas desde o ano passado em Austin, não havia diferentes zebras ou faixas de cascalho, nada para prevenir isso”, afirmou Bottas.

Bottas também ressaltou que penalidades de tempo menores não estão desencorajando os pilotos de ultrapassar os limites para ganhar uma vantagem. “Em algumas situações pode valer a pena, se você está preso 10 voltas atrás de um carro mais lento e perdendo 10 segundos, você aceita cinco segundos”, explicou.

Para Bottas, a solução seria a implementação de cascalho ou outros tipos de zebras que efetivamente impeçam os pilotos de ultrapassar os limites. “Se houvesse cascalho, não haveria problema! As mudanças que fizeram na Áustria, por exemplo, foram boas. Eles estavam adicionando cascalho em alguns lugares”, disse.

O piloto da Alfa Romeo está otimista de que a FIA está começando a levar em consideração as reclamações dos pilotos. “Eu imagino que no próximo ano eles virão com algumas soluções. Acho que estão levando isso a sério”, concluiu Bottas.

Este debate sobre os limites de pista certamente adiciona uma outra dimensão à já complexa dinâmica da F1, e é algo que a FIA terá que abordar mais seriamente, especialmente à luz do feedback claro e direto dos pilotos.