F1: Alpine refuta lobby de equipes rivais em punição a Sainz no GP de Las Vegas

Bruno Famin, diretor interino da equipe Alpine de Fórmula 1, negou que equipes rivais tenham pressionado pela punição aplicada a Carlos Sainz da Ferrari no Grande Prêmio de Las Vegas. O incidente ocorreu quando Sainz danificou seu carro ao atropelar uma tampa de bueiro durante o treino, levando a Ferrari a substituir a unidade de potência do SF-23.

Punição e Regras Claras
Apesar de reconhecer as “circunstâncias altamente incomuns e infelizes”, os comissários da FIA negaram o apelo da Ferrari para dispensar o uso de um terceiro armazenador de energia, resultando em uma penalidade de 10 posições no grid para Sainz. Derek Warwick, um dos comissários, expressou que “sentia que estava errado” ao aplicar a punição, mas as regras tiveram que ser seguidas conforme definido.

Comentários de Famin
Famin enfatizou que a decisão foi dos comissários e não influenciada por outras equipes. Ele afirmou que, embora a situação fosse lamentável para Sainz, não via outra escolha para os comissários da FIA. Famin comparou o incidente com outros casos em que pilotos são penalizados por danos causados em acidentes nos quais não tiveram culpa.

Sugestões de Mudança nas Regras
Max Verstappen, que se beneficiou da penalidade de Sainz, expressou simpatia pelo ex-colega de equipe e sugeriu que “as regras precisam mudar” para situações semelhantes no futuro. Isso levou a sugestões de que a F1 deveria implementar uma cláusula de força maior, mas foi revelado que as equipes anteriormente rejeitaram essa adição.

Comentários de Franz Tost
Franz Tost, que deixou seu cargo de chefe de equipe da AlphaTauri no final da temporada, concordou com a decisão da FIA, mas destacou que o problema poderia ter sido evitado se a pista tivesse sido inspecionada adequadamente antes.

A discussão em torno do incidente com Sainz em Las Vegas destaca a complexidade das regras da F1 e a necessidade de equilibrar a aplicação justa das regras com a consideração de situações extraordinárias e imprevisíveis.